Geografia Poesia Fé: Março 2009

Ensaio sobre a Proximidade da Dor Global

Queimando
Ardendo
Cruciante
Loucamente

Carne
Veias
Nervos

Dor
Pavor
Calor

Onde se acha a dor que se sente?
Quem pode ver o que se mente?
Porque andamos tão carentes?

Eu a vejo na face da terra
Eu vejo no coração
Você anda ao meu lado, tão distante.

Lágrimas transbordam a beira do coração
Caindo vertiginosamente ao chão
O chão dàlma ferida
Almas doloridas

Soprem os ventos
Para onde iremos agora?
Ao outro lado do mundo...
Num segundo...
Eu estou cada vez mais longe
da próxima esquina.

(MALTA)

Veja também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...