Geografia Poesia Fé: Abril 2008

Cai Menina

Como o mover de águas pelo toque do anjo
Como um som de muitas águas
Como brasa... vento impetuoso.

Correstes muito tempo
Pairando sobre as águas
Até que hoje te vejo aqui

Novamente meus olhos podem brilhar
Vejo que hoje você é tudo para mim
Seu estandarte em mim é o amor
Escolhi depender de você

Um toque de poder
Muito mais forte do que eu poderia suportar
Lindo, como céus, terra e mar.
Derrama óleo, ungindo o nascente
há um novo tempo

A menina perde o chão
Lentamente lança seu corpo ao ar
Anestesiada, cai, enche, derramando
Opera e renova.

Do fundo dos mais reais sonhos
Surgem mãos de conforto e esperança
Anjos enviados para suster a queda e amparar o choque
Enquanto ela navega num mar de mistérios incompreensíveis.

Treinamento de Missões Estudantis


Veja também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...